Arquivos | começo Assine o RSS feed para essa coluna

Esmalte da semana…

10 Nov

Mas o título poderia ser também “esmalte do mês”, porque estou no time das traidoras do movimento, haha. Desteto manicure, detesto salão, mesmo que seja pra fazer escova no cabelo, assim como muitas, acho que as manicures não tem o menor cuidado com a mão alheia, tiram aqueles bifes de cavalo, ainda mais na minha mão infantil em que a cutícula é quase inexistente, é uma pelizinha bem fina e pouca, é só empurrar e retirar o excesso… e acima de tudo, detesto papo de salão, fofocas de famosos e aquele blá,blá,blá de mulherzinha, e olha que SOU mulherzinha! Prefiro fazer em casa, e acreditem, é questão de prática, já faço a mão direita sem borrar tanto, comprei todos os apetrechos e sou mais feliz assim, além de economizar o que? R$ 15,00? Sei lá, faz tempo que não faço unha em salão mesmo…

Sempre achei que unhas bem feitas dão um ar de pessoa cuidadosa com detalhes e limpinha, hahaha, sério! Acho bonito esmaltes clarinhos, mas meacabo nos coloridões, só tomo cuidado de quando usar cores como rosa neon, laranja, verde(!), deixar as unhas curtas, pra ficar um ar mais divertido e menos elvira-clubber… nos pés rola mesmo um Renda, dificilmente um colorido, mas não acho feio não, desde que combine com a personalidade da pessoa.

Agora o que interessa, essa semana usei o Pink, da Impala, que nem é tão pink assim, achei a cor fofinha:
Pink, da Impala

Pink, da Impala

Reparem que minhas mãos estão em um estado de calamidade de tão secas, tem pele descamando! Mas já estou resolvendo com um creme específico pra mãos, vamovê se adianta né?

3 em 1!

7 Nov

Hello, ladies! :D

Primeiro post em blog coletivo é sempre aquela coisa, pelo menos comigo: escrevo um, dois, três parágrafos, acho que o texto tá uma merda, começo tudo de novo e fica essa enrolação para postar. Bem, eis-me aqui, e espero que esse texto termine em algo publicável!

Em uma rápida apresentação, digo-lhes que infelizmente faço parte (ou tenho feito, nesse ano maluco que tem sido 2008 na minha vida) do grupo das “traidoras do movimento”. Tenho ido ao salão fazer as unhas no esquema semana sim, semana não, semana não também e semana tô morrendo de preguiça. ¬¬ Isso é péssimo, e é algo que venho tentando mudar já há algum tempo, sem muito sucesso, mas não desisto! Fazer parte desse blog vai me ajudar muito no processo, então tô bastante satisfeita em estar aqui com vocês!

Como se não bastasse a minha enrolação para ir ao salão, minhas unhas não me ajudam em na-da: são extremamente fracas, e é até motivo de comentário no salão: “nossa, a unha dela é tão fininha, parece um papel!”. Se eu passo muito tempo com a mão na água, a unha fica transparente! o.O Uóoooo até não poder mais. Para reverter o problema, já tentei de quase tudo que vocês imaginarem, mas parece que é alguma cagada do meu organismo mesmo, então meio que ando me conformando. Em épocas de mais desespero, já usei até formol! Resolveu a quebradeira, mas deixou minhas unhas amareladas a la dedo mindinho de caminhoneiro. Luxo e riqueza, como vocês devem imaginar.

Pois bem, como minha unha quebra à tôa até mesmo estando pintada e cuidada, senti a necessidade de botar uma lixa de unha em cada uma das minhas bolsas, para não correr o risco de ficar sem uma em uma emergência, haha. Eis que há uns meses atrás saí com uma amiga para que ela comprasse um perfume, e enquanto ela se decidia, eu passeava na loja e futricava aquele mundo de girlie things. Foi quando dei de cara com um cestinho contendo várias coisinhas coloridinhas e fofinhas. Eu, bicha que sou, lôca do edy (hahaha, Mell!), fui logo saber do que se tratava. Foi assim que encontrei esse mimo, que é uma lixa pequenina 3 em 1 da Bourjois!

Como vocês notam, é exatamente aquela lixa que algumas manicures usam para lixar e dar uma “polida” na unha, só que em versão miniatura, pra ir na bolsa com a dona! Acabei me rendendo, mesmo com o preço um tanto salgado para uma lixa (R$ 9,00), e sempre que tô de bobeira, sem horário para ir ao salão, uso isso aí pra dar um jeito nas minhas unhas, além de um alicate para tirar as cutículas (ou tentar, já que eu sou um desastre total com isso, bem como para passar o esmalte. INVEJA BRANCA de quem faz as unhas em casa, queria ter o dom! Hahaha!). Nas fotos dá pra ver o quanto já tá gasta, então façam as contas aí pra vocês terem idéia do quanto enrolo pra ir ao salão, haha. *Shame*

Bem, gurias, por hoje é isso. Volto em algum momento do findi, pra mostrar o meu “esmalte da semana”, êeee. See ya!

Reminiscências.

7 Nov

Quando eu tinha uns doze anos entreouvi uma daquelas conversas de mães na sala, onde a minha confidenciava às outras algo mais ou menos assim: “minha filha pode até não ser uma miss brasil, mas tem unhas maravilhosas!”. Ao invés de ficar traumatizada para o resto da vida, saí saltitando pela rua e, com o dinheiro da mesada, comprei o meu primeiro vidro de esmalte. Vermelho da Risqué.

Lembro também o dia em que eu, nos velhos tempos de pseudo gótica juvenil, cheguei em casa com cara de quem havia descoberto a pólvora e as unhas pintadas de preto. Descobri o esmalte na casa de uma prima, que o havia comprado numa viagem ao exterior. Eu nunca tinha visto aquela cor antes e estava ali a resposta para o meu dilema: como ser levada a sério como gótica com as unhas pintadas de pink?? Meses depois me apaixonei por um playboyzinho e arquivei minhas pretensões de gótica wannabe – mas os CDs do The Cure e, claro, o esmalte preto, ficaram para sempre.

De resto, quis participar do Mão Feita pelo mesmo motivo da Renata – me forçar a fazer as unhas pelo menos semanalmente. Não há desculpa, já que tenho tempo e uma necessáire cheia de esmaltes. Aliás, existe melhor pick me up do que comprar esmalte novo? É baratinho, satisfaz um impulso consumista-girlie sem quebrar a conta bancária e não falha em nos deixar feliz e loucas pra correr pra casa e ver como fica. Eu sou a louca que se esbalda nas lojas “testando amostras” e sai com cada unha pintada numa cor diferente.

Dito isso, também sou a louca que nunca vai à manicure. Sério, devo ter ido umas duas vezes na vida e odiei cada segundo. Detesto gente futucando minhas mãos com artefatos pontiagudos – acho desconfortável e desconcertante. Faço eu mesma porque EU sei quando está doendo e a hora de parar; e também porque moro nos cafundós do Reino de Elizabeth e manicure aqui cobra o olho da cara e faz um serviço pior do que o meu. E, horror dos horrores: eu NUNCA tirei a cutícula. A vantagem é que, como nunca tirei, ela nunca teve que crescer de novo e é praticamente inexistente.

Ok, apresentação feita, vamos ao Esmalte da Semana:

Estou usando o 1 Seconde da Bourjois, na cor Rose Pearl, que é um rosa bem básico e bonitinho (a foto é péssima porque não refletiu o brilho). Estou tão apaixonada por esse esmalte que amanhã vou à cidade comprar todas as cores disponíveis (não muitas, felizmente). Além de a textura ser ótima (cremosa sem ser grossa, nem rala demais), o formato do “pinceau panoramique” é fabuloso. Você cobre praticamente a unha inteira com uma única passada. Eu consegui pintar a minha mão direita sem borrar; feito até então impossível. E dura bastante – pintei na segunda, hoje já é sexta e ele ainda está quase intacto. E oi, eu sou dona-de-casa.

Sem contar que seca em menos de um minuto; um dos motivos pelos quais eu demoro a fazer unha é a PREGUIÇA de esperar o esmalte secar.
É, eu sei. Imperdoável. Mas prometo mudar. Yes, we can!

cutículas

7 Nov

oi meninas! muito legal poder expor nossas luluzisses sem a preocupação de estar sendo inconveniente com os outros twitters, que nem sempre estão interessados em papo de salão.

tenho muitas coisas a falar, mas quero começar comentando com vocês sobre cutículas.

eu tenho uma manicure fixa, mas andei fazendo minha unha com a COLEGA enquanto ela estava em licença maternidade. ontem ela tava beeeeeeeem puta porque a minha cutícula “não estava bem tirada”.

eu tenho cutícula gostosa de tirar, sabe? daquelas que saem inteirinhas… as manicures se divertem haha. não é cutícula-monstro, mas passou de uma semana, já não fica legal. sendo assim, gosto que tirem BEM FUNDO, não me importo com dor nem beliscão, isso não significa tirar bife e sim aparar tudo que sobra, inclusive aquela pelinha que fica por cima da unha.

toda vez que mudo de manicure, torro o saco da fulana pra cavocar bonintem. às vezes elas dão aquele texto de que “Não pode, não é saudável”, mas eu pouco me importo. é assim que mantenho minha mão sempre bonita.

não arrepia, não seca, tá sempre bonita (e olha que a minha mão é de lavadeira, acho que é a mão mais seca do sul do mundo), desde que eu tire toda a semana, religiosamente.

e vocês? são adeptas do meio kg de pele ou só de uma empurradinha?

direCtamente do Japão!

7 Nov

oi mïgs!

então, já vou logo começar falando que eu sou mt traidora do movimento. tem vezes que eu esqueço e/ou fico com MUITA preguiça de fazer as unhas, sabe? eu chego em casa e me dá uma preguiça de existir, só me dá vontade de dormir haha aqueles fedelhos me tiram a vontade de viver. e tudo piora pq oi, eu faço minhas próprias unhas? sempre fiz e sempre vou fazer, pelo visto… ainda mais que me alertaram que fazer as unhas aqui é perda de tempo, pq as manicures nipônicas só empurram a cutícula, pintam mal… uó! mas qlqr dia desses eu vou tentar ir em uma, daí eu conto tudo pra vcs :)

entretanto, contudo e todavia, sempre que dá eu deixo as belezuras feitinhas, bonitas e sensuays. aqui tem mt loja de hyaku-en [as famosas lojas de r$1,99, mas made in Japan haha] daí sempre que dá eu dou uma paradinha na parte de cosméticos. make up eu nunca tive coragem de comprar, pq né, mts são vagabundas e com a pele não se brinca. e nem com as unhas ok haha mas eu fiquei loka do edy quando eu avistei esses vidrinhos aí. o da esquerda [com o new], é um vermelho mais fechado que eu ainda não experimentei – mas faze-lo-ei esta semana :) o da direita é um escâaandalo, imitação de tomate e talz. fiz a unha com essa uma vez e ahazey. não dá pra ver mt a diferença, mas eles são muito diferentes aö vivs! morte ao flash :/

o bom desses esmaltes de marca desconhecida é que eles têm uma consistência beeeem fininha, sabe? daí dá pra fazer as unhas sem se preocupar se vai encher daquelas bolinhas malditas, e fora que a secagem é MUITO rápida.

então que esse findi eu talvez vá ao shopping e vou dar uma olhada no que a galerë de olho puxado anda usando e volto aqui pra falar ;)

inté :*

ps: aquele rosa ali atrás da Risqué é o fada, é MUITO clarinho e não é cor de calcinha de vó, ok? haha

abominável mundo dos cintilantes

6 Nov

Não foi por falta de tentativas: debaixo do clarinho no pé, na francesinha, uma camada só, pra dar um brilho e tal. O mínimo de brilho que fosse nas unhas me ofuscava os olhos de longe. Era chegar em casa, torcer o bico e correr pra acetona, jogando fora pelo menos uma hora de manicure e dinheiro.

Eu tenho resistência com cintilantes-perolado, pronto, falei.

(more…)

Sete esmaltes em três dias

6 Nov

Oi, sou a Ira, monografando (e sumida do mundo por conta disso) e você não me conhece.
Esta semana ganhei seis esmaltes da minha chefe e estou encarando minha única compra do dia: um esmalte grafite da Risqué (isso contando com meu almoço que não comprei) que clama por decorar as minhas unhas.
(more…)

mulherzinha mode on

6 Nov

Assumo que quis participar do blog por uma razão nobre: manter minhas unhas sempre bonitas e apresentáveis, coisa que dos últimos tempos pra cá não tem sido constante, mas quando acontece me levanta o astral de uma forma tão rápida e maravilhosa quanto chocolate (nunca imaginei que diria isso, mas é verdade).

Sou estudante de design, trabalho 9 horas por dia com design numa empresa onde só trabalham 2 mulheres. A necessidade de estar com as mãos bem cuidadas e as unhas impecáveis é berrante. Meu trabalho sai das minhas mãos, as pessoas olham pra elas enquanto desenho ou explico algum projeto que fiz, quando estou com esmalte descascando ou alguma cutícula levantada, me sinto pior do que quando o cabelo está sujo, parece que ninguém vai prestar atenção no que digo pra olhar pro meu desleixo e consequentemente vão achar que se eu deixo minhas unhas daquela maneira, o que eu faço com meu trabalho então?

Unhas bem cuidadas dão trabalho, mas mais trabalho dão as minhas paranóias de ‘minha unha tá feia e todo mundo só repara nisso’. Toda mulher tem o direito e o dever de manter as unhas bem cuidadas para sua própria auto-estima. E é pra isso que eu tô aqui, pra contar as loucuras que uma mulherzinha de 24 anos, noiva, estudante de design, trabalhadora de 9 horas por dia, faz ou deixa de fazer pra deixar suas unhas do jeito mais bonito possível.

O post do esmalte da semana fica pra depois, no momento a câmera não se encontra em casa…

o poder das cores.

6 Nov

homem não entende, não adianta. e tem até algumas mulheres que não entendem, mas o esmalte (especialmente o vermelho) tem um poder enorme sobre nosso humor. as pessoas que estudam o poder das cores já dizem, vemelho e cores fortes tem o poder de animar um ambiente. eu acredito.

como toda boa mulher, meu esmalte varia de acordo com meu humor: em momentos mulherzinha, tende pro rosa, quando estou feliz, vermelho, e quando eu quero dar um loosho, um vinho. alguém duvida que eles tem poder sobre a gente? é só ir na manicure em um dia ruim: você sai de lá toda feliz, olhando pras unhas bonitinhas e se achando o máximo.

essa semana, passei um rosa da M.A.C. (minha manicure tem clientes chiques que dão esmalte de presente), estava meio down, me sentindo toda feiosa, cabelo malpintado e resolvi me animar com uma cor bonitinha. saí da sala da Vivs me sentindo rainha, andei toda feliz pelas ruas de curitiba, e elogios, só femininos.

a maior parte dos homens que conheço odeiam unhas vermelhas, e eles que me desculpem, vulgar é unha malfeita, descascada, pintada toda torta, com peles voando pra todos os lados. mulher de unha bem feita, independente da cor (exceto os cintilantes) ganha pontos, é básico, tipo depilação.

sou a favor do bem estar que uma unha bem feita proporciona, a pequena alegria de saber que aquela conta do salão que você pagou vai te dar uma semana (para as mais cuidadosas) ou alguns dias de bem estar consigo mesma.

e claro, tem o esmalte vermelho no pé, esse é pra levantar defunto, deixa qualquer uma se sentindo a própria miss brasil, mas esse fica pra outro post.

Francesinha estragadinha

6 Nov

Como boa mulherzinha, adoro unha francesinha.

Não consigo fazer toda vez que vou na manicure, verdade. Algumas vezes é por causa do preço, algumas vezes por causa do estado da minha unha. Ela é muito pequeninha e larga pros lados – mão de criança gordeenha, saca? – e francesinha fica bacana quando as unhas tão mais compridas e são mais finas. E além do mais, tenho aquela péssima, PÉSSIMA mania de roer as unhas e seus cantinhos, então elas quase nunca estão aptas pra receber aquela pontinha branca loosho.

(more…)